Embora o STF tenha negado liminar a Santa Catarina na questão da dívida, no despacho do ministro ficou claro que procede a contestação sendo considerado ponderável o argumento. Segundo o secretário da Fazenda, Antonio Gavazzoni, trata-se de uma batalha importante para o Brasil. Santa Catarina defende a tese de que a União não pode cobrar juros sobre juros das dívidas de estados e municípios. O STF deu razão, mas considerou que o Mandado de Segurança não é o meio mais acertado para colocar esse tema em discussão. A tendência é o governo do Estado recorrer com uma nova ação judicial, pois tem convicção de que está no caminho certo em defesa dos interesses dos catarinenses. Que é descabida a cobrança de juros sobre juros não se tem a mínima dúvida, mas pelo visto será uma luta árdua, que não tem espaço para recuo.