Servidores estaduais de Santa Catarina que tinham sido demitidos  por atos incompatíveis com as funções que exerciam, estavam recebendo aposentadoria integral com base numa liminar do ministro Dias Toffoli. Mas caiu a liminar. O STF  atendendo a Procuradoria geral do Estado, num processo onde atuou a procuradora Edith Gondin e o procurador Weber Oliveira, cassou o direito aos benefícios, que por sinal tinham sido acolhidos pelo Tribunal de Justiça do Estado, que atendeu servidores civis e militares que após a confirmação da perda do cargo recorreram ao Judiciário para garantir a manutenção do pagamento integral da aposentadoria. Absurdo. São demitidos por atos incompatíveis com a função e querem continuar sugando dos cofres públicos. Essas distorções carregadas de privilégios devem ser derrubadas, pois representam um deboche ao cidadão que amarga uma infinidade de obrigações aqui do outro lado , diante de categorias que vivem apenas de direitos pagos com dinheiro público, sem obrigações.