Foi durante o café da manhã dos industriais com parlamentares catarinenses na sede da Fiesc. Ao manifestar-se a senadora Ideli Salvatti agradeceu, prometeu beijinhos, ao presidente Alcantaro Corrêa, que evitou, durante seu discurso, cobranças ao governo federal. Considerou que a economia vai bem. Mas durou pouco. O democratas Paulinho Bornhausen aproveitou a deixa para destacar o peso da carga tributária atual, bem como, a campanha contra a prorrogação da CMPF e pediu pela CPI da Navalha em nome do combate efetivo contra a corrupção, que o PT e aliados fazem que não é com eles. Não houve contestação e nem respostas.