Um termo de responsabilidade do paciente dará direito a usar a “pílula do câncer”.Foi aprovado na Câmara, projeto de lei que autoriza a produção e o uso da fosfoetanolamina sintética aos pacientes com câncer.“Conseguimos definir a substância como de ‘relevância pública’ para que sua produção, distribuição, prescrição, e o uso possam ocorrer mesmo sem registro sanitário, que infelizmente demora muito tempo pra ser feito”, explicou o peemedebista Rogério Peninha Mendonça.Os testes e estudos clínicos sobre essa substância ainda estão em curso…não há registro da Anvisa que aguarda o resultado da conclusao das pesquisas.