A delegada Júlia Vergara fez questão de expor o posicionamento do juiz Zenildo Bodnar sobre a liberação dos CDs, que contém as gravações telefônicas, destacando a responsabilidade de resguardar o sigilo de informações pessoais, o que foi bem compreendido pelos vereadores. Ocorre que o vazamento de conversas distanciadas do foco das investigações pode servir inclusive de escopo para a impunidade. Baseados no constrangimento os envolvidos têm tudo para se transformarem em vítimas. Por isso o cuidado.