Concordo com os magistrados que na sua imensa maioria responderam ao ConJur que não é momento de aprovar o voto facultativo. Uma democracia jovem e que ainda não “amadureceu” poderá provocar com o voto facultativo uma representação política da minoria. Mas todos consideram que é questão de tempo. Por enquanto obrigatório, e o ideal que fosse consciente e voltado ao país e não ao desconhecimento e ao umbigo.