A corrupção hoje passou a ser uma companhia repugnante e constante no dia a dia das pessoas. É só ligar a TV, abrir um jornal ou percorrer as redes sociais para se deparar com notícias sobre desvios, falcatruas, safadezas e enriquecimento de políticos, autoridades e empresários mal intencionados. Avançam no dinheiro público como se fosse normal. Vendem facilidades utilizando a máquina pública banalizando um ato ilegal e de dano avassalador. A sensação que passa é de que não tem jeito. Está tudo contaminado. Mas o Ministério Público de Santa Catarina não desiste e isso é um alento à sociedade que não suporta mais pagar essa conta imensa do crime institucionalizado partindo daqueles que deveriam dar o exemplo. Uma nova estratégia será apresentada nesta sexta-feira com o lançamento do Plano Geral de Atuação agindo de forma sistêmica e ampla não se restringindo a área da moralidade administrativa. A meta é combater a corrupção na raiz, com ações incialmente preventivas. Na saúde, por exemplo, dando mais transparência para a lista de espera nas cirurgias seletivas, a fim de evitar privilégios com a venda de serviços públicos. Comum hoje. Fomentar o tema nas salas de aula, para formar uma geração que não veja na corrupção um meio de elevação social e proteção econômica. É o que vem ocorrendo. O Ministério Público terá um laboratório contra lavagem de dinheiro e promotores formarão um grupo especial anticorrupção para auxiliar os Gaecos em investigações mais complexas. São muitas as ações em vários segmentos. Uma esperança para todos aqueles que ainda acreditam no respeito às leis. Que ainda acreditam que podem crescer e vencer sem usar meios ilícitos. Que ainda acreditam que o Brasil é muito maior que essa corja que desrespeitou e desrespeita um país e seu povo. Chega de deboche.