O governo do Estado, segundo o secretário João Paulo Kleinubing, não tem condições de continuar pagando as cirurgias eletivas. Sendo assim, foi interrompido o programa de mutirão. No ano passado o governo Colombo teve que injetar recursos para honrar o programa, já que o governo Dilma disponibilizou apenas R$ 5 milhões. Este ano manteve as cirurgias nos primeiros meses, como não houve repasse do governo federal interrompeu o programa. De repente uma forma de pressão para que Brasilia se sensibilize.