A semana começou e o Congresso Nacional voltou aos dias de apreensão. Ou seja, mais uma vez está no olho do furacão, ou melhor da navalha. As atenções estão voltadas à Polícia Federal que novamente colocou no banco dos réus políticos envolvidos e suspeitos de desvios emoldurados pelo dinheiro público. Os documentos que chegaram por lá comprometem a vida de parlamentares tanto na Câmara como no Senado, justo agora que a intenção era superar a imagem negativa produzida por mensalões e sanguessugas. Novamente o Legislativo na berlinda, até porque a Comissão de Orçamento de repente vai ter que se explicar sobre emendas beneficiando obras de uma empreiteira. A bem da verdade não representa crime, mas ninguém duvida que existe um jogo subterrâneo. Vamos ver, desta vez, qual a profundidade da navalhada.