O secretário da Fazenda, Edson Caporal, considerou injustas as críticas contra o prefeito, destacando que Cesar Júnior empenhou-se pessoalmente, diante da crise estabelecida, para honrar a folha e o 13º salário como também quitar despesas prioritárias. Inclusive numa pesquisa dos prefeitos de 10 Capitais, Cesar Júnior aparece em sexto lugar. Mas Caporal evidenciou que não há amadorismo e muito menos irresponsabilidade no trato das finanças municipais, tanto que essa gestão recebeu um rombo de R$ 72 milhões da administração Dário Berger, e que nesses três anos não elevou essa dívida, pelo contrário, quitou parte dela, cerca de 8%, estabelecendo investimentos e obras. Respeitando a opinião do secretário, e não menosprezando os esforços do prefeito, mas honrar salários e pagar despesas acordadas e assumidas são responsabilidades mínimas que se espera de um gestor público.