Dias atrás esta coluna indagava sobre denúncias na aplicação do programa Luz para Todos. A Celesc não se manifestou, apenas um dos diretores disse que este tipo de notícia não era bom para a empresa, pois afetava os investimentos na Bolsa de Valores. Não entrou em detalhes e nem rebateu as acusações encaminhadas ao Procurador da República, Walmor Alves Moreira, por dois agentes do programa Amilton Alexandre e Lindomar da Silva Itamaro, que segundo destacam em documento foram injustamente demitidos depois de levantarem suspeições colocando a empresa no banco dos réus. ?Levei ao conhecimento dos gestores as irregularidades verificadas in loco nas viagens de inspeção que efetuei,? afirmou Amilton Alexandre. As irregularidades expostas: execução de obras em áreas sem moradia com intuito de valorização de terras para vendas posteriores. Eletrificação de áreas de empresas de papel, exportadoras de madeira, fazendas e casas de campo de políticos.A bancada do PT ao tomar conhecimento entrou em contato com a Eletrosul e o vice-líder Dirceu Dresch comunicou que estão efetuando uma fiscalização, pois se trata de recurso público para atender comunidades carentes da área rural e combater a exclusão elétrica no Estado. O PP, através do deputado Joares Ponticelli também se manifestou lembrando que a Operação Navalha transita exatamente em desvios cometidos no Programa Luz para Todos. ?Pode chegar aqui,? atirou. Foram rebatidos com veemência pelos governistas…