O presidente do Tribunal Superior do Trabalho, Rider de Britto, defende a reforma trabalhista que garanta acordos fechados entre empregados e patrões. Isto mesmo que direitos com 13º salário e férias sejam desconsiderados. Mas Rider argumenta que antes de tudo deve haver uma ampla reforma sindical.