Mas o prefeito Cesar Júnior vem defendendo uma mudança de mentalidade rompendo a dependência do poder público na realização de eventos. Junior espera que dentro de dois anos a prefeitura consiga fazer o Carnaval sem gastar dinheiro público, que nesses casos deve, isso sim, atender a área da saúde, transportes, segurança, e mobilidade. Ajudar é uma coisa, bancar é outra bem diferente. Essa dependência paternalista tem que ser realmente rompida.