A semana terminou com um presságio nada positivo: A Comissão de Ética da Câmara decidiu que não vai julgar deputados envolvidos com o mensalão, embora tenham sido acusados de corrupção passiva e peculato. Três deles, que representam mais de R$ 300 mil por mês para o erário público poderão completar seus mandatos sem susto e livres para outras investidas já que a impunidade é a regra.