Um dos vírus mais danosos que infestou a política brasileira continua sendo a corrupção, cada vez mais letal e protegida. No ano de 2015, o destaque, no combate a esse mal, foi o juiz Sergio Moro, emoldurado pelo Ministério Público Federal e por ações precisas e eficientes da Polícia Federal. Até porque como dizia Rui Barbosa, “não há nada mais relevante para a vida social que a formação do sentimento da Justiça.” E isso foi estabelecido no ano que se despede, com ações eficientes e determinadas rompendo com a praga da impunidade e levando para as prisões brasileiros que não respeitam o país em que vivem. # A esperança é de que 2016 prossiga nesse mesmo ritmo de combate efetivo contra criminosos do colarinho branco espalhados em gabinetes do poder público e privado. Sem distinções e muito menos cor partidária. Que o vírus da corrupção enfraqueça e esmoreça.