Quando a Secretaria de Saúde de Florianópolis contava com 76 fiscais da Vigilância Sanitária foram pagas 1.740 horas extras no período de dezembro de 2005 a março de 2006. Agora que possuiu 41 fiscais, pois houve um corte, produziu de outubro do ano passado até fevereiro de 2007, 5.109 horas extras. Não se trata de trabalhando mais, mas de falta de pessoal, ou não?