Quais os riscos que corre a presidente Dilma, depois de deflagrado o processo de impeachment? O maior risco vem das ruas. Caso a opinião pública, por meio da imprensa, se manifeste com veemência sobre a saída da presidente do Planalto, daí sim, poderá influenciar os parlamentares. Hoje pesquisas mostram que mais de 60% querem vê-la fora da presidência. A pressão popular tem muito mais força do que as frágeis e interesseiras alianças no Congresso. E há quem diga que tratar desse tema no final e inicio de ano, evitando o recesso, não terá tanta influencia externa, pois é período de férias, ajudando a presidente.