Quantas vezes tratei sobre a poluição vergonhosa e desrespeitosa do Rio do Brás, em Canasveiras…perdi até a conta. Sou testemunha, pois quando cheguei em Florianópolis, vindo do Rio de Janeiro, adquiri um apartamento exatamente no prédio ao lado do Rio do Brás. Senti-me um privilegiado, até me dar conta do descaso das autoridades locais e das promessas, para não dizer mentiras, sucessivas. Quantas vezes como jornalista abordei esse tema e acreditei em alguns gestores públicos de que o problema estava sendo sanado. Tratava-se e trata-se de uma praia assediada por estrangeiros e moradores. Um local lindo. Não se pode negar que algumas medidas foram, no decorrer desses mais de vinte anos, aplicadas visando a saúde do rio, mas dai nos deparamos com outra vergonha: os moradores embalados pela irresponsabilidade que jogam o esgoto no rio como se fosse a regra da preservação. São tão desqualificados quanto às autoridades que burlam, omitem e não agem com determinação maquiando ou transferidos para o sucessor uma solução racional e obrigatória. Enquanto isso, a vida segue, no deboche e na agressão a natureza, o que resume muito bem a situação atual do Rio do Brás.