“Muitas presas usam miolo de pão coberto com papel higiênico para conter a menstruação.” Esse é um dos relatos feito pela deputada Carmem Zanotto ao denunciar na audiência pública sobre violência contra a população carcerária feminina realizada esta semana na Câmara. Houve nos últimos anos um aumento significativo no número de mulheres presas.Pelo estudo, hoje o país tem 38 mil mulheres apenadas. O Brasil tem a quinta maior população de mulheres presas do mundo e a situação pode piorar nos próximos anos. A taxa de aumento da população carcerária feminina entre 2000 e 2014 é considerada alarmante: 517%, enquanto, entre os homens, foi de 220%. E as drogas são os principais ingredientes do crime envolvendo mulheres.