Lembro dias atrás ter lido uma manifestação do juiz Sergio Moro onde dizia que o brasileiro estava cansado de ser roubado. Referia-se a corrupção endêmica que ele vem combatendo com maestria. Mas não fica apenas em atos de desvio para benefícios próprios. A carga tributária que carregamos é outra agressão de governantes com a população. Para se ter uma ideia pelo quinto ano consecutivo o Brasil é o último colocado no ranking que mede o retorno oferecido em termos de serviços públicos de qualidade à população. Pagamos muito para não receber quase nada. Dos 30 países com as maiores cargas de impostos somos o lanterna em retorno. Ou seja, os governos, tanto federal, como estaduais e municipais sabem, como nunca, cobrar e exigir, mas longe de ofertar uma qualidade de vida e bem-estar à população. Perdemos para o Uruguai e a Argentina. E o mais indigesto de tudo isso é que batemos recordes de arrecadação e em contrapartida mantemos um péssimo retorno aos contribuintes. É só observar, e não precisa muito, a situação da saúde, da educação, da segurança e das estradas. Aqui em Santa Catarina, há estudos visando instituir o pedágio em rodovias, principalmente, do Oeste, porque o governo não tem como arcar com a recuperação e manutenção das estradas e até a sinalização, que visa a segurança. Mas para onde vai todo esse dinheiro dos impostos? Pois é, pagamos caro para receber um serviço de baixa qualidade ou nenhuma qualidade. E somos enganados e surrupiados diariamente…pagamos para não receber.