Estamos chegando no Dias da Mães, onde o comércio tradicionalmente tem seu maior rendimento, tirando o Natal. O Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário fez uma pesquisa no mínimo intrigante destacando o quanto se paga de impostos na hora de comprar um presente para a mamãe. Chega a ser revoltante. Só para se ter uma idéia se você pretende presentear sua mãe com um perfume fique desde já sabendo que 73% é de imposto. Um DVD o imposto incidente chega aos 51,5% e um ferro elétrico 44%. Roupa, comum nesta época, carrega 37,8% de impostos, e assim vai. Praticamente a metade do que se paga vai para os cofres públicos. Daí vem a pergunta: Estes recursos retornam em bens para a sociedade? Daí vem, isso sim, a revolta. Paga-se para sustentar uma máquina paquidérmica, inoperante e sanguessuga.