É clara a estratégia que vem sendo trabalhada nas esferas de poder visando dar celeridade ao processo de impeachment, a fim de quitá-lo nas próximas semanas atropelando Natal e Ano Novo. Por que não querem o recesso? A tramitação do processo de afastamento da presidente seria num período em que o brasileiro está voltado ao lazer de final de ano e muitos em projetos de férias com filhos longe das escolas. Ou seja, o Planalto sabe que as atenções ficariam distanciadas dos olhares da população. Enquanto isso a oposição briga pelo recesso para retornar o tema ano que vem quando o brasileiro está voltando do período de festas, férias e confraternização. O apelo popular seria bem maior e com influência direta nas decisões do Parlamento. Tanto um como o outro reconhecem a importância da população interferindo ou opinando sobre temas fundamentais para o país. Quem de repente não sabe de sua força e importância é a própria população que na maioria das vezes fica à margem dos acontecimentos e transforma-se em massa de manobra. Estamos diante de um fato histórico e que mexe com o país e cabe a cada um de nós encarar de frente esse tema e não abrir espaço para omissões.