Indignados e mais uma vez desrespeitados os passageiros cobravam neste feriadão ostensivamente uma atenção das companhias aéreas. E ouviam dos atendentes, de forma debochada, que se estivessem se sentido lesados que recorressem à Justiça. A questão não é os tribunais, mas um atendimento digno. É a morosidade e a impunidade protegendo os faltosos.