Por 28 votos a dois o artigo da reforma administrativa que autorizava a promoção de 15 consultores para cargos de procuradores da Assembléia recebendo salários acima de R$ 20 mil por mês foi considerado inconstitucional. Por falta de consenso não ficaram definidos, só dia 16 de maio, quando passa a valer esta sentença e quando os procuradores deixarão o cargo, já que o relator Jorge Mussi sugere um prazo de seis meses. Se é inconstitucional que se respeite a Constituição, saiam imediatamente.É o mínimo que se espera de quem trata de leis.