Desta vez, ou seja, em 2016, em Joinville não terá o senador Luiz Henrique da Silveira fazendo pressão junto ao PSD para desacelerar a campanha do partido. Como ocorreu com Kennedy Nunes que acabou prejudicado, favorecendo desta forma o candidato do PMDB. Em 2016, Darci de Mattos dependerá exclusivamente do seu trabalho de convencimento ao eleitorado sem interferências vindas dos labirintos do poder. E não sendo Darci, será Kennedy Nunes. O que não há hipótese até aqui é de uma aliança com o PMDB na maior cidade do Estado.