O presidente da Associação Nacional dos Magistrados, o catarinense Rodrigo Colaço, criticou a decisão do STF à imprensa do centro do país afirmando que deverá ocorrer a partir de agora uma paralisação dos julgamentos com a real possibilidade dos condenados de repente exigirem a restituição dos valores que foram obrigados a devolver ao erário. Imagina.