?Não devo nada para este governo. Não negociei cargo. Quero que nossa demanda seja atendida. Não fui respeitado. Faltou respeito a todos. Me sinto traído. Preciso ser convencido que não é isso,? atirou o líder do PDT, sargento Amauri Soares, referindo-se às reivindicações do pessoal da segurança pública que continuam a espera dos reajustes prometidos.