No âmbito federal apesar do aumento de vários tributos, o governo Dilma amargou uma queda real na arrecadação de 5,6% em 2015. Com esse dado voltou a defender a CPMF, como meio de abastecer os combalidos cofres públicos. Por aqui a arrecadação também está em marcha lenta e o governo catarinense segurando o aumento de impostos, sofrendo inclusive pressão interna.