De janeiro até outubro, segundo estudos da Ambev, houve uma retração de 2% a 3% no consumo de cervejas e refrigerantes. A fatura foi descontada por conta da crise. Na temporada, nos dois estados do Sul, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, nessas primeiras semanas, a grande vilã está sendo a chuva, que poderá baixar ainda mais o consumo, excluindo Florianópolis que deverá fazer a diferença e equilibrar os índices de consumo. Mas ainda é cedo para uma avaliação mais definitiva.