Pelo menos agora há um prazo de trinta dias para uma adequação às exigências impostas pelo governo argentino referentes à exportação da banana catarinense. Ocorre que houve um acordo que passou a valer desde 28 de maio, segunda-feira passada, determinando exames laboratoriais que garantam a inexistência da doença denominada popularmente de ?tríplice ferrugem?. A falta de comunicação com o Estado impediu uma preparação adequada e como conseqüência caminhões com a fruta ficaram retidos na fronteira, em Dionísio Cerqueira. -O ministro Reinoldt Stephanes comunicou que houve uma prorrogação até dois de julho sendo assim o secretário da Agricultura, Antonio Ceron, já acionou a Cidasc e a Epagri para atenderem as exigências acordadas entre Brasil e Argentina.