Em reunião que durou 30 minutos e aberta aos jornalistas, que de repente atuaram como testemunhas, o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, afirmou ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha, que não há margem para dúvidas sobre a decisão que anulou a formação da comissão especial do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Ou seja, o STF entre outras coisas fortaleceu a figura dos líderes de bancada, que passarão a determinar quem participará da comissão do impeachment e tirou poderes das Câmara, que passou a ser praticamente figurativa caso o Senado “engavete” a decisão dos deputados sobre o afastamento da presidente.