Ou seja, a disputa pela reeleição depende exclusivamente do prefeito Cesar Júnior. Ele que decidirá. Na reunião de ontem, às 20h30, com a presença do governador Raimundo Colombo e do presidente do PSD, Gelson Merisio, ficou claro que há intensidade eleitoral por questões exclusivamente pessoais. As insatisfações, relatadas por amostragens, estão concentradas diretamente no prefeito, que construiu uma espécie de ausência, embora sua administração não sofra significativos ataques. Com Cesar fora uma opção é o desembargador Nelson Schaeffer, que seria o novo, o que passou a se impor no momento. O eleitor revela uma insatisfação com o que está aí, quer algo em que possa apostar.