O nosso eterno nrº 1, Guga Kuerten, ao receber o Prêmio Brasil Olímpico, cobrou mais honestidade dos políticos para que sejam brasileiros de verdade. Em lágrimas e com o troféu Adhemar Ferreira da Silva nas mãos, pediu que “sejam honestos, sejam justos…” Enquanto isso, entidades como a CNBB, OAB/Brasil e outras tantas acompanham à distância os acontecimentos no país. A OAB por sinal vem se manifestando contra o presidente da Câmara, mas silencia quanto a presidente Dilma. De repente por interesses, quem sabe de uma indicação do presidente da entidade nacional para o STF. Não é mais a OAB de tempos atrás.