Em férias junto com a família a ex-prefeita Angela Amin não quis entrar em detalhes sobre seu futuro político. Afirmou que está distanciada do cotidiano partidário, pois se dedicou ao curso de doutorado e as funções que exercia na Codesc. Agora aposentada, depois deste período de descanso, irá voltar ao processo político fazendo um planejamento mais minucioso. Ou seja, deu a entender que está retornando, mas evitando antecipações. Sobre uma disputa à prefeitura da Capital em outubro lembrou que o PP integra a atual administração e que o prefeito Cesar Júnior marcou para os próximos dias uma conversa que certamente irá balizar o que será acordado para essas eleições com o partido fazendo suas avaliações e análises, de repente, baseadas em pesquisas. Perguntei sobre sua opinião de disputar depois de ter comandado por oito anos a Capital. Ela foi taxativa: “Não vou entrar numa aventura. Trata-se de um projeto muito maior. Voltar só com muita liberdade, fazendo mais e melhor.” Destacou as dificuldades que hoje atravessam as administrações municipais que não havendo uma parceria, como ela lembrou que tinha com o Governo Federal quando prefeita, fica difícil de cumprir um programa de gestão. Sobre a atual administração, que inclusive o PP faz parte com três secretarias: Fazenda, Habitação e Procuradoria, a ex-prefeita desconversou afirmando que “desligou o botãozinho e só volta depois do Carnaval.” Mas não perdeu, referindo-se a poluição do Rio do Brás, a oportunidade de alfinetar aqueles que tentaram argumentar que não havia orientação técnica para ligações de esgoto. “Há sim falta de conscientização. Mas quantas universidades existem em Florianópolis? Quantos cursos de Engenharia? Estamos em 2016…” E lembrou que foi chamada de “bruxa” numa reunião na Lagoa quando desenvolvia uma operação contra ligações clandestinas, que eram localizadas por um robô, de uma empresa contratada pela prefeitura. “Muita gente importante na época foi notificada,” recordou a ex-prefeita, que não acredita no impeachment da presidente Dilma Rousseff, acha que esfriou. Angela Amin está voltando, mas isso não quer dizer para uma disputa este ano, poderá ser inclusive em 2018.